10 MITOS QUE PREJUDICAM A CENA GÓTICA BRASILEIRA



10 MITOS E PRECONCEITOS QUE PREJUDICAM A CENA GÓTICA BRASILEIRA


“Existe uma economia dos bens culturais, mas ela tem uma lógica própria... A hierarquia socialmente reconhecida das artes - e dentro de cada uma delas, dos gêneros, das escolas ou períodos- corresponde uma hierarquia dos consumidores. Isso pedispõe gostos a funcionarem como marcadores de “classe”.

(Pierre Bordieu, “Distinction”)


Os conceitos e ideias de “cena underground” e os 10 mitos que aqui descrevemos são dinossauros discursivos que herdamos do século passado. Talvez entre os anos 1950 e 1980 essas ideias fossem funcionais, mas no contexto do século XXI elas se tornaram autodestrutivas e conservadoras.


Essas ideias funcionam em conjunto, formando um sistema ideológico em que uma parte sustenta a outra, em uma rede de discursos que nos aprisiona sempre nos mesmos problemas e nos deixa sem saída, REPRODUZINDO os problemas em vez de resolvê-los. É preciso romper essa rede discursiva como um todo ou os problemas seguirão sem solução.


Os problemas da cena gótica brasileira não são apenas econômicos ou socioculturais típicos do Brasil e América do Sul em geral, senão:

a) não teríamos cenas alternativas de outros estilos com melhores resultados que a gótica/darkwave;