MITO 7: “PIZZA WINS: NÃO TEMOS DINHEIRO, SOMOS POBRES...”

MITO 7: “PIZZA WINS: NÃO TEMOS DINHEIRO, SOMOS POBRES...”


Por que a PIZZA ganha do festival, festa ou show Gótico?  

Dinheiro existe. Bastaria R$ 1,oo por dia para ir a dois festivais anuais como o Wave Summer ou WoodGothic; ou 3 ou 4 como o Deepland Festival. Se nós não separamos 30,oo por mês para algo é porque não temos interesse naquilo, simples assim.


Aí inventamos qualquer desculpa para justificar o desinteresse, porque é preciso justificar-se para a crítica online (aquela galera que não vai também, mas paga de polícia do status online, um lance quinta série mesmo) porque “TEM QUE” ir ou “tem que apoiar”, etc...

O “Ter que” – como comentamos no mito 6 -é o maior inimigo do prazer, até pizza, sorvete e sexo logo se tornam desinteressantes se você “tiver que”...


Voltando ao dinheiro e interesse: o Brasil é pobre? Não o suficiente...

Por exemplo, pouco mais de 10 anos atrás o Brasil era o mesmo Brasil e não estava muito melhor economicamente, mas raves anuais em SP chegavam a 4000 pessoas e mesmo festivais locais de bandas cover até a 1500 pessoas... Baseados em uma moda temporária, claro, mas isso mostra que dinheiro existe, quando há interesse e uma ética de prazer envolvida.


MAS Por que a Pizza, a bebida e outras coisas representam um gasto mais atraente? (Pizza wins!)

R: Porque se inserem na ética de prazer ou de interações sociais prazeirosas.

Mas por que outras coisas não conseguem fazer esse apelo des-racional?

Por que as outras interações sociais não parecem tão atraentes?


Porque éticas de dever, exclusividade e sacrifício sempre são menos atraentes.


Em termos cínicos, são marketing suicida, a menos que seu objetivo não dito seja realmente desenvolver elites pseudo-culturais ou reduzidas. Aí sim, nessa lógica é necessário fracassar – ou permanecer em um círculo restrito - sempre para manter o status e o valor cultural dos artefatos e rituais sociais.